GRUPOS DE ESTUDOS

O CORPO NA PSICANÁLISE

Atualmente, estudamos o livro de Colette Soler O Em-Corpo do Sujeito Seminário 2001-2002, onde encontramos:” quase todos, senão todos os conceitos fundamentais da psicanálise, elaborados sucessivamente por Freud e Lacan, implicam o corpo: traumatismo, pulsão, libido, sintoma, gozo, objeto “… “Conceitos que, … tentam explicar o mistério do corpo falante”. “… Na psicanálise, o corpo que devemos conhecer, se seguirmos o ensino de Lacan…é um efeito de linguagem. Isso quer dizer que a linguagem toca o organismo, o desnatura, o modifica
Primeiras e terceiras sextas-feiras do mês.
Horário: 16h às 17:30h
Respondentes: Edna Freitas: 81- 99987-5042 e/ou Josilene Xavier: 81- 99962-1345
Plataforma: Zoom

TEORIA FREUDIANA

Reafirmando a impossibilidade de estudar Psicanálise sem a leitura atenta do Texto Freudiano damos continuidade ao nosso percurso de estudo da teoria freudiana tendo como projeto atual de leitura os "Cinco casos paradigmáticos da clínica psicanalítica” na nova tradução da editora Autêntica “Histórias clínicas” da Coleção Obras Incompletas de Sigmund Freud. Ao término do estudo de cada caso clínico buscamos textos lacanianos, ao alcance da leitura do grupo, que tragam observações de Lacan acerca dos mesmos.
Semanal: Segundas – feiras.
Horário: 18h às 19:20h
Respondente: Fátima Belo: 81- 99877-7235
Plataforma: Zoom

ADOLESCÊNCIA: o que essa clínica pode ensinar aos psicanalistas?

Considerando a importância atual na Clínica Psicanalítica das questões relacionadas às identificações, à posição sexuado e às questões de gênero, em particular na clínica da criança e do adolescente, estamos lendo textos do livro “As homossexualidades na Psicanálise”.
Afirmam os organizadores do referido texto. “Com os avanços desencadeados pelo evento de Stonewall, houve um giro de discurso e o amor que não ousava dizer seu nome ganhou direito de cidadania”. Afirmam que com os artigos mostrarão os efeitos desse giro discursivos no mundo e também no movimento psicanalítico. Os organizadores questionam em que a Psicanálise tem contribuído no debate com a sociedade sobre esse tema, convidando os psicanalistas a retomarem os conceitos de Freud e Lacan para trazerem à luz para a sociedade o que Psicanálise com sua ética e seus conceitos norteadores de uma clínica do sujeito do desejo tem a dizer hoje sobre as homossexualidades”.
Em seguida iniciaremos o estudo do texto “Disforia de gênero”.
Primeiras e terceiras quartas-feiras do mês.
Horário: 17:00 às 18:30h
Respondente: Fátima Belo: 81- 99877-7235 e/ou Josilene Xavier: 81- 99962-1345
Plataforma: Zoom

TEORIA E CLÍNICA LACANIANA

Leitura do livro: Os desafios das pulsões – a clínica das pulsões, uma clínica atual – Jean-Marie Forget
Partindo da teoria das pulsões em Freud e Lacan o autor vai mostrar como as manifestações das estruturas clínicas apresentam uma nova roupagem no mundo atual. Como os sujeitos apresentam suas demandas e esperam respostas rápidas às mesmas e como na análise podem encontrar saídas possíveis ao sofrimento através do recurso ao simbólico.
Forget parte da hipótese de que as manifestações sintomáticas “dependem de faltas de estruturação de diferentes tempos pulsionais. O sujeito não chega a contar no discurso que o concerne, com a estrutura de um discurso rigoroso que dê conta de uma restrição de gozo e que lhe permita a estruturação das pulsões...”
Semanal: Segundas – feiras
Horário: 19:40h às 21h
Respondentes: Amélia Lyra: 81- 99996-0192 e/ou Fátima Belo: 81- 99877-7235
Híbrido: Presencial e plataforma Zoom

ESTUDO DOS SEMINÁRIOS DE LACAN

Seminário 1969-1970: O avesso da psicanálise
Nesse seminário Lacan vai desenvolver os matemas dos quatro discursos, onde ele diz que “vai pegar a psicanálise pelo avesso e justamente dar-lhe seu estatuto...”.
Segundo C. Dorgeuille esse seminário responde as inquietações de Lacan em ver a Universidade pôr a mão sobre a psicanálise e a formação dos analistas.
Assunto muito atual, que volta a tona através das inúmeras “escolas” de formação e tentativas de regulação da psicanálise com que nos deparamos nos últimos anos.
Segundas e quartas sextas-feiras do mês.
Horário: 10:30h às 12:30h
Respondente: Secretaria do CEF: 81-993551725 e/ou Amélia Lyra: 81- 99996-0192
Plataforma: Zoom

RELAÇÃO DE OBJETO – Seminário IV de Lacan

No seminário relação de objeto, Lacan introduz a significação do falo, mostrando que o desejo remete ao desejo do Outro. Lacan retoma Freud para enfatizar que objeto é um objeto reencontrado e articula os três registros da falta do objeto: na falta imaginária (frustação), falta simbólica (castração) e na falta real (privação)
Primeiras e terceiras sextas-feiras do mês.
Horário: 14:30h às 16:00h
Respondente: Gleci Mar de Lima, 81- 98963-5722
Plataforma: Google Meet

A ANGÚSTIA – SEMINÁRIO X DE LACAN

Seminário realizado por J.Lacan nos anos 1962-1963, no qual ele expressa que “a angústia é o afeto que não engana”. Lacan diz que escolheu esse caminho porque é “o único que nos permite introduzir uma nova clareza quanto à função do objeto, em relação ao desejo.”
A angústia é por ele trabalhada em relação ao enigma do desejo do Outro.
O objeto é o objeto a - que Lacan diz ser sua única invenção -, resto da dialética do sujeito ao Outro e considerado como objeto causa do desejo.
Semanal: quartas – feiras
Horário: 20h às 21:30h
Respondentes: Emília Lapa e Lúcia Queiroz
Contato: Diana Oliveira: 81- 98767-4757
Plataforma: Google Meet